Sustentabilidade

Movimento Limpeza Consciente

  • Movimento Limpeza Consciente

    A responsabilidade da Abipla em incentivar o desenvolvimento sustentável do setor resultou, em 2009, no lançamento do Movimento Limpeza Consciente, que busca soluções para harmonizar demandas ambientais levando-se em consideração os aspectos sociais, culturais, econômicos e políticos, para as indústrias de produtos de limpeza. Criado com a proposta de contribuir com o desenvolvimento sustentável do setor, o Movimento Limpeza Consciente foi inspirado nas mais modernas tendências sobre o tema, fixando algumas áreas nas quais é possível melhorar o perfil ambiental do setor de indústria que representa no Brasil: a redução de produtos químicos em geral, a redução da geração de embalagens, a redução da emissão de CO2, a diminuição do consumo de energia e a otimização do uso da água.

    Dentro destas propostas, o setor pretende ajudar o consumidor a perceber o seu papel não somente na hora de escolher os produtos para casa, mas também na responsabilidade pós-consumo. Para o varejo, a proposta é o engajamento, oferecendo dentro do ponto de venda produtos que atendam a essa premissa de sustentabilidade.

    Individualmente, cada empresa tem a liberdade e a responsabilidade de decidir a melhor forma de alcançar estes objetivos dentro do espírito de inovação e de livre concorrência que existe na Indústria. O projeto, no entanto, oferece suporte a todo o setor.

    Para maiores detalhes, acesse o site do Programa: www.limpezaconsciente.org.br

  • Concentração de Produtos de Limpeza

    O objetivo deste pilar é estimular o aumento da fabricação de produtos concentrados ou compactados que tenham comprovados ganhos ambientais

    Os produtos concentrados são criados a partir de investimentos em pesquisa e desenvolvimento que permitem a reformulação de alguns tipos, como, detergente para roupa, detergente para louça e amaciante. A reformulação possibilita que alguns componentes possam ser eliminados, diminuindo o tamanho do produto, mas mantendo o mesmo desempenho.

    São produtos prioritários para a conscientização do uso correto de produtos por conta da real economia de água, energia e embalagem (resíduos). Menos água, menos energia, menos caminhões para transporte dos produtos em todo seu ciclo de vida, mais facilidade no armazenamento e menos resíduos. Essas são algumas vantagens desses produtos que são vendidos em embalagens menores do que os produtos regulares. Um exemplo disso é um produto regular para lavar roupas que pesa cerca de três quilos, pode ser substituído por um concentrado que pesa cerca de um quilo, lavando a mesma quantidade de roupas.

    O tema tem sido foco de trabalho do projeto neste ano. Por isso, foi formado um grupo técnico de trabalho na Abipla aberto a todos os associados e com frequência constante de fabricantes e fornecedores de matérias-primas, que se reúnem periodicamente para tratar do assunto. Estudos europeus de empresas e governo apontam que os produtos concentrados têm o potencial de utilizar 78% menos água que os produtos regulares. Se todos os consumidores alterassem os seus hábitos de consumo para este tipo de produto, a economia total em água seria de aproximadamente 36 milhões de litros por ano. A embalagem do produto concentrado utiliza 37% menos resina plástica que a versão convencional. Portanto, é possível transportar mais produtos em um mesmo caminhão, reduzindo 71% a emissão de CO2.

  • Uso Correto de Produtos de Limpeza

    Usando bem, todos ganham

    O uso correto de produtos de limpeza pode trazer benefícios ambientais e para o próprio consumidor, que pode garantir a sua saúde e economia nas contas domésticas.
    O objetivo deste pilar é criar formas de comunicar ao consumidor as melhores maneiras de utilização e dicas de uso de produtos.

  • Descarte de Embalagens Pós- Consumo

    Projeto Dê a Mão para o Futuro

    O descarte de embalagens pós-consumo é uma questão global preocupante, principalmente nas grandes metrópoles. Em busca da destinação adequada, o setor de produtos de limpeza aderiu em 2008, ao projeto “Dê a Mão para o Futuro” Reciclagem, Trabalho e Renda, uma parceria entre a Abipla, a Abihpec - Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosméticos e a Abimapi - Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias e Pães e Bolos Industrializados. Além do estímulo à conscientização por parte da população, o Dê a Mão para o Futuro promove um processo de inclusão social dos trabalhadores das cooperativas. Desta forma, a solução para a questão passa pela responsabilidade compartilhada, com a mobilização articulada de todos os envolvidos no processo:

    O poder público é o responsável pela implantação ou melhoria da coleta seletiva

    As entidades do setor produtivo (Abipla, Abihpec, Abimapi) cuidam da capacitação operacional e gerencial das associações ou cooperativas de catadores

    As indústrias promovem um processo contínuo e crescente de utilização de material reciclado

    O consumidor separa os resíduos recicláveis em sua residência para a correta destinação


    O projeto já obteve resultados positivos nos estados onde atuou, até agora recolheu mais de 255 toneladas no estado do Rio de Janeiro e quase 19 toneladas no Paraná, estados onde o programa já foi implantado. Foram mais de 261% a mais de volume de recicláveis, além de, um aumento de renda de 152% para os cooperados.

     

  • Compras Públicas Sustentáveis

     O Guia de Compras Públicas Sustentáveis para Administração Federal, desenvolvido pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), ressalta a importância de levar em conta na tomada de decisões das compras governamentais todos os impactos e custos de um produto em todo o seu ciclo de vida (produção, distribuição, uso e disposição). Mais de 20% do PIB passa por compras governamentais, mas apenas 0,1% são baseados em critérios de compras públicas sustentáveis. Esforço conjunto (governo e setor produtivo) para estabelecer os critérios que levem em consideração – prioritariamente – questões de sustentabilidade).

    A Abipla está desenvolvendo um projeto piloto com o Jardim Botânico no Rio de Janeiro, que será implantado em duas fases. A primeira fase compreende a realização de oficinas de qualificação aos profissionais de manutenção do Espaço sobre o uso correto dos produtos de limpeza. Depois disso, serão desenvolvidos critérios de sustentabilidade para compras públicas de produtos de limpeza.

  • Regularização de Empresas

    Programa de Mobilização para a Regularização de Empresas no Setor de Saneantes

     A realidade de muitas pequenas empresas é de falta de informação quanto a algumas regras básicas de fabricação. São fabricantes que não dispõem ainda da licença sanitária.

    Este cenário impulsionou a criação do Programa de Mobilização para a Regularização de Empresas no Setor de Saneantes, numa parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Vigilâncias Sanitárias locais e demais parceiros.

    Sebrae - Por meio de suas regionais nos estados, o órgão realiza o diagnóstico das empresas participantes, capacita estas empresas nas questões gerenciais e oferece a consultoria necessária para o desenvolvimento do negócio.

    Anvisa - sensibiliza as Vigilâncias Sanitárias dos Municípios sobre a importância do suporte das autoridades locais para incentivar a formalização das empresas.

    Abipla e o Sipla - como representantes dos empresários do setor, as entidades estão contando com o apoio das federações e indústrias dos estados em participar do projeto.

    Juntas, estas entidades têm por missão mobilizar os pequenos empresários, oferecendo as ferramentas necessárias à regularização de seus negócios e introdução das boas práticas de fabricação.

Parceiros